Casos de Sucesso (Análise comportamental do Filho)

Casos de Sucesso (Análise comportamental do Filho)

overnature-com-2.jpgÀs 15 horas daquela tarde ensolarada, recebi um telefonema de um cliente chamado Geraldo, me informando que precisaria de meus serviços e que tinha visto o meu anúncio no jornal. Ele perguntou se eu poderia ir até o escritório da sua empresa às 17 horas, e eu disse a ele que poderia me aguardar. Cheguei ás 16:45, como sempre, adiantado. Ao entrar no escritório, fui recebido por sua secretária, Dona Ana, que pediu para que eu aguardasse, logo em seguida, chegou seu Geraldo, um homem de aproximadamente 58 anos, falava bem, foi muito objetivo e disse o que queria: “Melo, tenho um caso para você solucionar para mim, tenho uma pessoa com que convivo há muitos anos, ela tem um filho de 19 anos, que é meu enteado, mas o tenho como se fosse meu filho, estou desconfiado que ele possa estar usando drogas, quero que você me diga tudo que esse rapaz está fazendo de errado.”
Ele perguntou, olhando fixamente nos meus olhos, se o trabalho poderia ser realizado com êxito e quanto custaria esse serviço.
Disse a seu Geraldo que em 15 dias entregaria o serviço e que precisaria da autorização dele para instalar um programa espião de monitoramento no computador do sindicato, o Henrrique, pois ele passava a madrugada toda na internet.
Seu Geraldo disse que já estava autorizado, que no dia seguinte, às 11h da manhã, nós iriamos até a casa do sindicato para fazer a instalação do programa, já que depois das 11h o investigado ia todos os dias para a academia de musculação que era do seu pai biológico.
Disse ao seu Geraldo que também seria feito o monitoramento móvel do sindicato a partir da saída de casa até o seu retorno.
No dia seguinte, cheguei pela manhã, no horário combinado, na casa do sindicado. Meu cliente me recebeu e disse: “Vamos conversar e assinar o contrato. “Fechei com ele o valor do trabalho prestado com monitoramento de 15 dias, ele assinou o termo de autorização para ser instalado o programa no computador do sidicado.
Ao entrar na residência, observei um cachorro de raça Pit Bull, Visualmente notei que aquele cachorro estava muito musculoso, como se estivesse tomando algo para crescimento de massa corporal e muscular, minha intuição dizia que algo com aquele cão não estava normal.
Pedi então para seu Geraldo que fôssemos até o quarto do sindicado para ser feita logo a instalação do programa, em 15 minutos estava tudo pronto, perguntei ao cliente se podia fazer uma averiguação no quarto do sindicado, ele falou que eu poderia, e acrescentou: “Fique à vontade.”
Tinha muitas fotos de fisiculturistas; verifiquei que nas prateleiras tinha muitas caixas de remédios, como Legalon, Omeprazol para úlcera; encontrei várias seringas descartáveis, essas seringas foram encontradas pela mãe na bolsa do sindicado.
Vendo meu conhecimento a respeito dos remédios e seus efeitos, brincou ele: “Você era para ser médico e não detetive!” Eu ri.
Ao sair da residência, disse a ele que levasse o cachorro para fazer exames que comprovassem se havia sido aplicado algum medicamento ou não no cachorro. Me despedi de seu Geraldo e disse que com 15 dias nós nos encontraríamos, para passar o relatório e provas documentais.
No primeiro dia, fui fazer um levantamento na academia do pai biológico do Henrrique, na qual ele trabalhava como personal trainer, verifique que a academia era escondida, não tinha placa e era no  segundo andar de um prédio, fui como interessado em malhar lá. Verifiquei que tinha um atendente lá receitando alguns suplementos e quando eu cheguei perto ele baixou o tom de voz, o nome dele era Antônio.
Retornei para casa e comecei a montar o quebra-cabeça e a traçar estratégias de como provas documentais dentro daquela academia, já que o sindicado tinha uma boa clientela e só saía de casa para a academia.
Começaram a chegar relatórios e a captura de imagens de tudo que o sindicado acessava: suplementos, fotos de fisiculturistas e a página de um site de compras; esse site foi acessado no quarto no dia da investigação, como busca o investigado estava procurando uma substância para comprar chamada STanazoiol Winstrol, que é um esteroide anabolizante sintético derivado da testosterona.
No Brasil, ele não é aprovado pela ANVISA, ou seja, é proibida a venda e o uso aqui. É aplicado muito em animais e por isso o Pit Bull estava além do tamanho normal.
O investigado estava revelando em casa um dos efeitos colaterais desse asteroide,  que é a agressividade, os efeitos dessa substância são irreversíveis à saúde.
Fui à academia, utilizei uma auxiliar, chamada Márcia, que hoje é detetive e trabalha comigo. A detetive ligou para a academia e marcou uma avaliação, no dia seguinte, ela foi fazer a sua avaliação e colocou no seu braço esquerdo o relógio espião, começou a falar com o atendente Antônio sobre o preço de suplementos e teve a ideia de dizer para ele que queria tomar algo que fosse fazer efeito rápido, pois ela queria ganhar massa muscular nas pernas e nas coxas e criar músculos.
Então o Antônio disse que tinha a solução, mas era aplicado e teria um custo maior que os suplementos e acrescentou que o resultado era rápido.
A detetive perguntou como era o nome do remédio, ele disse que era Winstrol, ele disse que sim, então a detetive disse: “Vou esperar ele chegar para fazermos um pacote.”
Logo em seguida, chegou o sindicado, e o atendente o chamou e disse que havia uma cliente que queria o “remedinho” com resultados rápidos e que ela trabalhava muito e não tinha tempo para malhar.
Henrrique mandou a detetive entrar na sala. Este jovem de 19 anos, o investigado, estava estragando seu corpo e sua vida por vaidade e também estragando a vida dos outros.
Na gravação de áudio e vídeo, a detetive perguntou para o sindicado se esse remédio não tinha efeitos colaterais, ele disse que fazer uso do anabolizante Winstrol é como uma roleta russa quer dizer ele era ciente de tudo que esse medicamento poderia causar em sua vida.
Então disse a detetive: “Serviço terminado com sucesso”. Isso era o 10° dia, faltavam 5 dias para terminar o prazo que eu tinha dado para  meu cliente, resolvi ligar para seu Geraldo, e perguntei para ele se já havia levado o cachorro para fazer os exames com o veterinário.
Ele disse: “Ainda não.” Eu insistir e disse: “Seu Geraldo, leve esse cão urgente!” Ele disse: “Melo, você já sabe de algo ?” Eu disse: “Sim, o caso está terminando e daqui a cinco dias nos encontraremos.” Ele disse que tudo bem.

No dia combinado, cheguei ao escritório do seu Gerado e ele me disse: “E aí, o que esse garoto está aprontando? É maconha ? É cocaína?” Eu disse: “Não, é uma substância até pior do que certas drogas, um anabolizante chamado Winstrol, aplicado até em cavalos e outros animais.”
Então ele me disse: “Por isso que eu cachorro está muito doente. Ele aplicou nele também.” Seu Geraldo, de imediato, ligou para a mãe do sindicado e disse tudo, falou a ela: “precisamos internar esse menino ou ele vai morrer logo.”

Entreguei todo o material de áudio e vídeo e do programa instalado no computador, e seu Geraldo ouviu tudo e me disse: “Esse menino é como se fosse meu filho, mas Melo, te agradeço por tudo e, além dos 4 mil, vou te dar de gratificação mais mil reais.”
Agradeci a ele e disse que sempre estaria a sua disposição.

Saudações, Detetive Melo, São Luís – Ma.

Todos os personagens envolvidos neste caso possuem nomes fictícios, para assim preservarmos a identidade das pessoas envolvidas.