Tudo sobre sigilo entre Detetive Particular e Cliente

Tudo sobre sigilo entre Detetive Particular e Cliente

O sigilo do detetive particular é um comportamento que faz parte do código de ética desses profissionais. Além de garantir uma conduta discreta por parte do investigador, o sigilo é peça fundamental na construção de confiança entre detetive particular e cliente.

Quais são as vantagens da discrição do detetive particular?

No decorrer de uma investigação particular o detetive se depara com uma série de informações privadas, como o local de um encontro extraconjugal ou a revelação de um desvio de verbas em uma empresa, por exemplo. O sigilo do detetive particular, portanto, garante que todas as informações colhidas durante o serviço de investigação particular sejam compartilhadas apenas com o cliente.

A ética profissional do detetive particular exige que ele mantenha os dados obtidos com seu trabalho em segredo mesmo após a entrega do relatório ao cliente. Todo o levantamento feito pertence à pessoa que contratou o investigador, logo, o sigilo, a discrição e o respeito com o conteúdo produzido são obrigações do detetive particular.

Outra vantagem do sigilo do detetive particular é que o cliente pode ficar tranquilo para conversar abertamente com o investigador e revelar as informações que julgar pertinentes para a resolução do caso. O detetive particular é um profissional treinado para construir uma relação de transparência e empatia com o cliente, criando um ambiente de segurança, familiaridade e credibilidade entre as partes.

Sigilo detetive particular: as determinações legais

O trabalho do detetive particular é orientado pelas cláusulas da Lei nº 13.432 sancionada em abril de 2017. O documento reconhece a profissão de investigador particular e estabelece as obrigações do profissional na sua atuação.

O sigilo do detetive particular deve estar registrado no contrato conforme os artigos 7º e 8º da referida lei. No contrato firmado com o cliente também deve ser incluído o seguinte:

– Natureza do serviço;
– Prazo de vigência;
– Qualificação completa de ambas as partes (cliente e investigador)
– Relação dos documentos e dados fornecidos pelo cliente — garantindo, assim, o sigilo do detetive particular
– Local no qual o serviço será prestado;
– Relação dos honorários;
– Forma de pagamento acordada.

A discrição do detetive particular também é garantida pela lei mesmo após a resolução do caso. O profissional fica proibido de divulgar os meios e resultados da investigação durante o exercício da profissão, seja no site ou nas redes sociais.

Importância do sigilo por parte do cliente

Conforme dito anteriormente, o sigilo do detetive particular é garantido por lei e pela atuação do profissional. No entanto, é fundamental ressaltar a importância do sigilo por parte do cliente.

Ao longo da apuração o detetive particular acompanha de perto a rotina do investigado para levantar as provas documentais necessárias tanto em imagem quanto em vídeo. A obtenção desse material fica comprometida quando o investigado descobre que está sendo vigiado. Muitas vezes isso acontece porque o cliente comenta a contratação do detetive com algum amigo em comum com o investigado, fazendo com que ele redobre a atenção com as atitudes equivocadas que têm cometido.

Além de prejudicar o processo, se o investigado é informado sobre o trabalho do detetive particular pode haver represálias ao profissional, colocando em risco sua integridade física. Sendo assim, o cliente também deve restringir os comentários acerca da investigação unicamente ao detetive particular.

O sigilo do detetive particular é a base de um relacionamento saudável com o cliente. É por meio da atuação discreta do investigador que o cliente tem a certeza de que o trabalho será conduzido com o profissionalismo e idoneidade necessários para a rápida resolução do caso.

 

Fonte: Detetive Daniele