Principais dúvidas na contratação de um Detetive Particular Parte 1

Principais dúvidas na contratação de um Detetive Particular Parte 1

O trabalho de um detetive particular ainda é rodeado de dúvidas. A profissão, regulamentada apenas em 2017, é bem antiga e já ajudou milhares de pessoas a resolver questões pessoais e profissionais com o auxílio de uma investigação particular.

O que faz um detetive particular?

O detetive particular é um profissional devidamente habilitado para trabalhar com investigação, independentemente da área. Exemplificando: ele pode atuar em uma investigação de traição, empresarial, para encontrar pessoas desaparecidas, entre outros casos.

Quais os tipos de investigações feitas por um detetive particular?

Diversas podem ser as formas de atuação de um detetive particular, sendo que as mais comuns são: investigação de casos extraconjugais, casos empresariais, contra espionagem, investigação de paternidade, monitoramento, investigação de antecedentes na contratação de profissionais como babás e cuidadores, etc.

Como é executado um serviço de investigação?

Com dados em mãos (rotina e informações pessoais/empresariais) o investigador particular dará início a investigação. Isso envolve ficar de campana, seguir o investigado, se infiltrar nos lugares de convívio e adquirir informações em conversas com pessoas próximas, por exemplo.

Quanto tempo dura, em média, uma investigação?

O tempo de duração, em média, é de 10 dias. Entretanto, dependendo da complexidade do caso e de como o investigado(a) faz para se proteger pode ser necessário um tempo maior para execução do trabalho do detetive particular.

São coletadas provas? Se sim, como e quais?

É possível coletar provas durante uma investigação particular. Isso pode ocorrer por meio de imagens (fotos e vídeos), em escutas, em registros de conversas em aplicativos de mensagens. Tudo dependerá de como atua o detetive particular e sua equipe.

 

Fonte: Detetive Daniele