Como é o dia a dia de um investigador particular?

Como é o dia a dia de um investigador particular?

Apesar de as ficções terem contribuído para a popularização da imagem do investigador particular, pouco do que é retratado nos filmes tem realmente sentido na atuação cotidiana desse profissional. A rotina depende diretamente do tipo de investigação que está sendo conduzida, mas, em geral, investigador particular se envolve pouco em tramas criminais ao auxiliar investigações policiais, por exemplo.

Da mesma forma, o detetive particular não se envolve em disputas físicas com os investigados. Portanto, a força física e dominar formas de luta não são realmente necessidades para ingressar na profissão.

Pelo contrário: é muito mais importante que o investigador particular desenvolva habilidades relacionadas à discrição em suas ações, além de um pensamento calculista para prever os próximos passos do investigado e organização para não perder momentos importantes da investigação. Também é necessário domínio do aparato tecnológico usado.

Assim, o dia a dia do investigador particular pode envolver o monitoramento de um investigado, seguindo seus passos, viagens para fazer pesquisas por provas ou até mesmo infiltração que demande uso de um disfarce.

Quais são os serviços oferecidos por um detetive?

Como visto, o investigador particular pode ter um dia a dia muito variado de acordo com o tipo de investigação que esteja conduzindo. Existem diversos tipos de casos que podem ser resolvidos pelo profissional, tais como:

– Investigação conjugal

– Investigações familiares (monitoramento de filhos, busca por pais biológicos, busca por bens escondidos pelo cônjuge, etc.)

– Investigação empresarial (auditorias e identificação de espionagem industrial)

– Contra espionagem

– Monitoramento.

Portanto, essas são as diversas situações nas quais o investigador particular pode auxiliar. Em investigações criminais, como de desaparecimento, o profissional contribuir com as autoridades mediante autorização oficial e da família.

 

Fonte: Detetives